segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Guerra total ao Natal!

O Pai Natal é um senhor de barbas brancas que traz almoços grátis ...

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Contas por alto sobre Liberdade

Na Holanda o Salário mínimo é de 1300 euros por mês (cerca de 70% do salário médio, num país com população altamente qualificada). No início da carreira um engenheiro ganha pouco mais do que o funcionário que lhe limpa o escritório (a quem é roubada a liberdade de receber menos).

Desemprego: 3.3%, a taxa mais baixa da União Europeia.Mas há zonas dos Países Baixos que não entram nas estatísticas, onde a liberdade de negociar o que se quer pagar e receber é total, e até os impostos são à taxa plana = 0% à la Ron Paul. Nestes paraísos liberais, autênticos oásis no fascismo igualitário holandês, os previligiadamente livres assalariados, que normalmente embalam fruta ou cortam carne, têm inclusivé a liberdade de negociar com os patrões o horário de trabalho, não estando limitado pela lei convencional. Têm liberdade de não ter segurança na saúde, e têm a liberdade de escolher não gozar férias. Há uns tempos um destes lugares paradisíacos foi notícia. Chama-se Den Helder

Encontro II

Bernardo d’Orey Vasconcellos e Souza d’Almeyda e d’Andrade, devoto católico, fica encantado ao privar com William Winthorp Astor. Agrada-lhe sabê-lo crente, um Cristão com letra maiúscula, igualmente fervoroso, dessa América que ao contrário da Europa se recusa a abandonar Deus. Mas seca-se-lhe a garganta ao saber que Mrs. Astor, igualmente cristã, talvez ainda mais devota, é presbítera.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Ouvido no "Porta Velha"

- ... manual de engenharia civil em português do Brasil, apreendido pela PIDE, porque o título cheirava-lhes a marxismo.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Re: Re: 3 biliões* de pessoas vs. verdismo

"... [os países em desenvolvimento pensam que] a paranóia europeia com o ambiente é uma forma subtil de travar a ascensão asiática. E não há nada que os europeus possam fazer para alterar isso. Nada." (Henrique Raposo)

Não há? Nada? E eu que pensava que todos os países tinham assinado o protocolo de Quioto menos os EUA. Vejamos o nada que os europeus fizeram para que a Rússia, um país em desenvolvimento que ameaça fazer sombra à Europa, entrasse no barco:

... é sabido que a Rússia conseguiu um acordo simpático. Sendo que os níveis de emissões de referência foram definidos relativamente a 1990, tendo colapso da indústria russa após a Perestroika, esta data de referência garante que a Rússia não chegará nem perto desse valor até 2012, a data limite do protocolo. De facto, não é esperado que esses níveis sejam atingidos até 2027. Assim sendo, não só a Rússia não tem que fazer qualquer redução nas suas emissões nos próximos 4 anos, como ainda recebeu centenas de "créditos de redução de emissão" carimbados - basicamente direito a poluir - que podem ser vendidos no mercado internacional. Acrescem ainda a este pacote-oferta milhões de créditos "sumidouro de carbono" por causa das vastas florestas russas.

Nada ?
É também importante atentar na premissa proposta:
HR aponta como natural a suspeição dos países em desenvolvimento relativa aos interesses europeus nos protocolos de redução de emissão de gases. Analise-se essa afirmação face ao seguinte:

O ex-conselheiro de Putin Andrei Illiaronov referiu-se à aceitação de Quioto por parte da Rússia como um potencial "Auschwitz económico". Veio a saber-se que estava a soldo da Exxon Mobil. Estava a ser pago pela petrolífera para promover a desconfiança num protocolo que se veio a revelar extremamente lucrativo para a Rússia. Illiaronov é hoje Senior Fellow do Cato Institute, um think tank fundado pelo magnata do petróleo Charles Koch. Fica a cargo do leitor a tarefa de adivinhar quem são os seus maiores patrocinadores.

*Ps.: Esta gente é tão atlântica, tão atlântica, que até no sistema de numeração tenta copiar os americanos? 1 bilião é 10^12. Ponto. A população mundial não chega a 0.007 biliões.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Sobre a capacidade de adaptação do capitalismo, um post sem links nem imagens cativantes

A partir do momento em que existe uma rede de informação com as características da internet o custo de distribuição e promoção de conteúdos diminui para níveis residuais. Assim sendo, as distribuidoras enfrentam o mesmo problema com que ficariam os distribuidores da fruta do meu avô se existisse um meio de ele a teletransportar gratuitamente para a mesa do consumidor - isto é, são quase inúteis. Se o capitalismo fosse tão flexível à mudança quanto se arroga as distribuidoras seriam lestas a disponibilizar de graça os conteúdos através de páginas com publicidade cujos lucros sobrariam para cobrir os reduzidos custos de promoção e distribuição da música. Mas não.
Face à mudança, o capitalismo estrebuchou. Armou-se com as ferramentas do costume , como a novilíngua e invectivou: "pirataria", "roubo", "direitos" de "autor", "" ┼ PROPRIEDADE ┼ intelectual" (Aleluia, Amen!). Valeu-se depois do mais valioso recurso no seu arsenal: o Estado. Ameaçou, fechou servidores, enviou homens de cara tapada às casas dos criminosos. Por fim, investiu milhões a pôr os D'ZRT a dizer em público que os descarregamentos ilegais os matavam à fome.
Uma década mais tarde alguns começam a adaptar-se, e a rtp já tem canal no youtube.

Subitamente o funesto pirata é um espectador amigo.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Música de Intervenção

Corre na blogosfera uma discussão antiga para a qual a resposta foi dada há mais de meio século pelo porco Napoleão.
Por mim, faço minhas as palavras da Keny Arkana, cantora de intervenção Franco-Argentina, défenseuse d'une révolution du bas et anti-institutionnelle:

Parce qu'ils nous la mettent, et ça qu'on l'admette ou non
Parce qu'on veut pas d'maîtres qui génèrent que misères et tourments
Jeunesse de l'Occident, à nous de contrer les gouvernements !



Abelhas

Alguém ainda se lembra do nosso amigo Mon 810, aquele milho transgénico impróprio para consumo humano que foi proibido na Alemanha porque mata abelhas alemãs? Foi-se a ver e, surpresa das surpresas, parece que também mata abelhas algarvias!!

Um apicultor de Poço Barreto viu já quase metade das suas colmeias destruídas por este veneno. Metade do seu sustento. Do seu ganha-pão. Onde é que estão os opinativos aurautos geneticamente modificados da sacralidade da propriedade privada? Ou ela só é sagrada, um direito natural e inviolável se os vândalos usarem rastas?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Blair

Blair esteve ontem na Culturgest a falar de "Desenvolvimento Económico e Paz Mundial", e surpreendeu ao dizer que o que faz falta para o primeiro é mais liberalismo e que a melhor forma de lidar com o urânio enriquecido persa é bombardeá-lo com urânio empobrecido.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Se Chavez fosse europeu

... mudava a designação das suas propostas para "tratado", e aprovava-as no parlamento.

Mas convenhamos, o proposto fim do limite de mandatos a que um chefe de governo se pode candidatar seria uma medida perigosamente anti-democrática, só em vigor em ditaduras como a França, a Itália, o Reino Unido, o Japão, o Canadá, a Austrália e ... Portugal.*

*[Nos comentários, ventos de esclarecimento relativos às diferenças entre as formas de governo]

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Normalidade

Em Moscavide, Lisboa, um taxista foi assassinado esta semana. Em frente à residência do IST. Nos dias seguintes a insegurança andava nas bocas das conversas de café, e os culpados eram conhecidos - a "escumalha" como lhes chamava Sarkozy, ou "a chungaria"* como é mais habitual ouvir-se por cá. Havia que aumentar o policiamento, pôr vidros à prova de bala nos taxis. O efeito a nível local foi parecido com o do falso arrastão de Julho de 2005: "Já chegou a este ponto!", exclamava-se!

Todos respiraram de alívio quando se soube que o dito taxista afinal foi morto pela mulher - um crime passional, depois de uma discussão. Afinal está tudo bem na sociedade portuguesa. Foi falso alarme. A normalidade continua.

Em Portugal há 40 queixas de crime conjugal por dia, e este ano já morreram 35 pessoas assassinadas pelos cônjuges.


*É triste, mas apercebi-me agora que "chungaria" é um termo politicamente correcto. A miserável burguesia quando perde o pejo prefere referir-se directamente à raça/nacionalidade da "escumalha".

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Desculpas


O autor tem estado muito ocupado. Pena, porque:

  • Há festa em Paris!
  • Há Bicicletada em Portimão (Sexta Feira, dia 30, 18:30 na Fortaleza).
  • Portugal, com uma democracia plenamente consolidada, com políticas económicas e sociais ortodoxas, sem desastres naturais, recebendo centenas de milhões por ano da UE, e com o PIB per capita a crescer continuamente, conseguiu piorar o seu nível de desenvolvimento humano* (HDI, indicador das Nações Unidas).
... e isto merece ser comentado.

* Claro que isso todos já sabíamos, mas vê-lo expresso num número, atestado pela ONU torna as evidências ainda mais inegáveis.

NOTA: Parece que tal como há umas semanas com a notícia da descida dos números de população infectada com HIV, a diferença no indicador de HDI se deve a uma reformulação do método estatístico*. Obrigado, Miguel, por mo fazeres notar.

*Prova de como ando distraído, confiei nos media tradicionais sem fazer uma pesquisa mais profunda na rede. Hoje em dia, isso é equivalente a ser desinformado.

Atente-se nesta "notícia", por exemplo - uma pura mentira. O Público é especialista nisto. Procurei em muita imprensa internacional e nenhuma afirmara do congelamento de relações com Espanha. O Público deve achar que está melhor informado que os outros ...

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Serviço Publico

Apresentação-debate sobre transgénicos organizada pelo GAIA, tendo como base o documentário "TranXgènia: a história do verme e o milho", sobre a experiência local na Catalunha e Aragão. Esta Quinta-feira , às 22:00, no Bacalhoeiro, em Lisboa.

De notar que depois da controvérsia com o grupo Verde Eufémia, o assunto voltou à sua posição de destaque habitual ... a página 37 do jornal.

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Cherne Laranjinha

" ... é verdade que associei o nome de Portugal a uma mentira que custou a vida a centenas de milhar de pessoase destruíu um país, mas repare: valeu-me este tacho bestial!*"


Como diriam os Acromaníacos:

Filho da puta de Direita ...



... engole aqui a Meita.

*Durão Barroso acha que Portugal nada tem a lamentar sobre o papel que assumiu e a prova disso é a sua própria situação. "Portugal, ao dizer que sim ao seu aliado norte-americano, não perdeu espaço com isso, nem tem que estar arrependido. Eu fui, depois dessas decisões, convidado a ser Presidente da Comissão Europeia, e tive o consenso de todos os países europeus."

Lusoponte

Ia escrever acerca da reportagem que a SIC tem exibido sobre como em 94 uns bravos senhores blindados valentemente espancaram dezenas de pessoas e atingiram a tiro outra (que ficou paraplégica) para proteger os negócios fraudulentos da Lusoponte e os bolsos do Ferreira do Amaral, mas constatei que, não só não se encontra on-line, mas já alguém escreveu o que queria dizer sobre o assunto.

A reportagem da RTP:


*Na da SIC, mais recente, vê-se um cagalhão fardado de pistola numa mão e cacetete na outra, a torturar um homem estendido no chão. E vê-se muito mais ...
Hoje, a ponte 25 de Abril está mais que paga, mas a Lusoponte cobra o dobro do que cobrava em 1994. Lusoponte que negociou os seus contratos milionários com Ferreira do Amaral, na altura ministro no governo, hoje em dia ... administrador da Lusoponte.

domingo, 18 de novembro de 2007

"Deixem-nos trabalhar"

- Nós já estamos a trabalhar! E estamos solidários com os grevistas! - advertiram os camionistas.A solidariedade da população ao piquete mostrou nessa madrugada aos esbirros armados do Poder que a sua pretensa força é tão frágil como a sua dialéctica falaciosa. Foram obrigados a despir as armaduras, voltar para as suas tocas, aguardar por um momento de fraqueza dos fracos feitos fortes para exercerem a sua negra missão.

Valete

Gerações de Anti-Heróis combaterão estoicamente ...

...até ao dia da Liberdade.

Aforismo automobilista

O melhor forma para estacionar é com as quatro rodas em cima do passeio: a EMEL só multa carros parqueados em lugares marcados, e a bófia só se chateia com os que estão a impedir o trânsito.

sábado, 17 de novembro de 2007

Noites em Lisboa

Cefalópode, B.Leza, Quarteto, Ginjinha do Rossio ... Grémio Lisbonense?

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Música de Intervenção

Ainda a propósito do tal representante não-eleito.

.. há em espanha um homem a quem é permitido, legalmente e segundo a constituição, violar e matar uma freira impunemente, à frente da polícia. Se eu vir isto a acontecer e lhe chamar assassino, serei multado e preso.*

*Lido numa entrevista aos Nashgul, banda de intervenção galega.

Amostra: Escória Neo-Liberal

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Algo continuará podre ...

... mais 4 anos de destruição do estado-providência, Rasmussen continuará a governar em coligação com os conservadores e com o apoio da extrema-direita.
Não que eu tivesse muitas esperanças - hoje em dia, na Europa da cerveja, parece haver resultados típicos:
  • Os partidos socialistas, transformados em sociais-democratas, duplicam ou triplicam o número de deputados, capitalizando os votos perdidos pela deriva neo-liberal dos de ex-centro-esquerda.
  • Estes últimos, distinguindo-se cada vez menos da direita, perdem votos.
  • A extrema-direita, que fala também aos orfãos do neo-liberalismo, cresce.
O resultado final é um empate quase total entre blocos da dita direita e da dita esquerda e aí das duas uma:
  • A extrema-direita apoia tacitamente a direita e forma-se um governo de minoria (caso da Dinamarca)
  • Os dois partidos do centro, cujas ideias políticas são admitidamente iguais, coligam-se, formando um bloco central (caso da Holanda e Alemanha, que eu previa erradamente que aconteceria também na Dinamarca)
Os pobres blocos Verde-Vermelho, mesmo sendo a terceira (segunda, no caso da Holanda) força política mais numerosa, não têm ideias governativas compatíveis com a sacrossanta ortodoxia neo-liberal e acabam infalivelmente renegados à oposição.

Facto curioso (e penso que exclusivo na Dinamarca): o peso da Nova Aliança liderada por um palestiniano, criada com o objectivo de contrabalançar a direita xenófoba.

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Anti-Climax

"Quanto mais os europeus me atacam, mais forte fico nos Estados Unidos"

Talvez os neoconas-monárquicos que se vêm masturbando violentamente com o caso da Cimeira Ibero-Americana devessem aplicar esta citação ao ocorrido e pensar que o seu ídolo franquista prestou a Chavez um inestimável auxílio na conquista dos corações venezuelanos, que viram o representante eleito da sua nação ser boçalmente insultado por um digníssimo representante vitalício não-eleito do democrático e moralmente superior Ocidente.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Nitro

O Óxido Nitroso, N2O, comummente conhecido como Nitro pode ser usado para aumentar subitamente a potência de um motor de combustão interna a pistão, ao agir como agente oxidante, permitindo que uma maior quantidade de gasolina seja queimada num curto espaço de tempo.

Um exemplo do resultado da activação da sua adição à mistura pode ser visto aos 4 segundos deste vídeo.

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Serviço público

[CTS-60 da Rhode & Schwarz]

Um Capturador de IMSI responde a um pedido de chamada de um telemóvel próximo, fazendo-se passar por estação base, e instruindo o chamador que use a o modo de encriptação R/5 (ou seja, nenhuma). O sinal é reenviado para a estação-base genuína mais próxima e a comunicação é estabelecida, com o capturador como intermediário. Para ouvi-la basta ligar uns auscultadores ao dispositivo. Ou um gravador, para mais tarde recordar.

Encontram-se à venda em segunda mão a começar nos 1000€ (ver modelo CTS-30). Também se podem comprar directamente à marca ou em lojas da especialidade. A marca alemã Rhode&Schwarz vende a preço razoável a gama CTS, que tem modelos de que gosto particularmente por serem extremamente fáceis de utilizar. A Anritsu e a Aeroflex vendem-nos ainda mais baratos.

Para encontrar outros modelos, é só procurar "Mobile Radio Tester" na rede. Encontram-se verdadeiras pechinchas nos fóruns de malucos dos telemóveis.

Em suma, não é preciso ir ao Paraguai nem ser-se um engenhocas, para se juntar à moda das escutas.

Mais: 1 2 3 4 5 6

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Quantos são?

Quando a agressividade ao volante é explicitamente promovida. - excelente série de artigos no Menos Um Carro
Cartazes de propaganda à nova Mitsubishi L200, onde o potencial poderoso condutor da poderosa máquina desafia "Quantos são?", encontravam-se por ironia macabra nos lugares onde foram violentamente mortas duas pessoas no Terreiro do Paço a semana passada, e também na E.N. 125, na Patã de Cima, onde foram mortas mais duas esta manhã. Pode ser visto ao fundo da imagem da capa da edição de hoje do diário gratuito Metro, ironicamente emoldurada por um anúncio a um automóvel. [clique na imagem]

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Subsídio para a interpretação dos resultados dos exames nacionais III

A resposta a esta questão era a óbvia: Colégio Valsassina, em Chelas (propina de 1 ordenado mínimo por mês + inscrição + livros + 132 €/mês de almoço na cantina, para os interessados). Humildemente me revelo como um peça vital para a elevada posição que esta instituição ocupa nas listas de mérito, particularmente a Matemática (primeiro lugar nacional).
Aqui vai, em jeito de segredo, a revelação doutro dos seus truques:

Dos seus 70 alunos inscritos à disciplina de Matemática no 12º ano, um terço foram a exame.
Em média, um aluno classificado por esta escola com 11, teve 14 no exame, uma aluna classificada com 10, conseguiu 13 no exame. Um aluno classificado internamente com 9 teria 12 mas... não poderia ter ido a exame porque isso baixaria a posição da escola. Resumindo: este colégio impede à partida alunos de 12 de irem a exame para que não prejudiquem a imagem de excelência da escola - a sobre-filtragem de que falava no artigo anterior. Isto é eficiência no ensino? Excelência? Não. É marketing.

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Subsídio para a interpretação das classificações nos exames II

Não vale a pena tentar sequer interpretar os dados erróneos divulgados pelos media até agora, porque:

1) Só é lícito fazer uma ordenação dos resultados das escolas por disciplina. Ao misturar classificações a Português (cujas médias nacionais andam à volta do 12) com Física (à volta do 7), está a beneficiar-se as escolas com menos alunos de Física. As escolas que se especializam em formar alunos nas áreas das humanidades e das artes, tendo menos estudantes de Matemática e por vezes nenhuns de Física, obtêm sempre classificações médias mais altas.

2) Para que os resultados sejam comparáveis, há que compensar o facto de haver escolas que permitem apenas aos seus 20% melhores alunos ir a exame enquato outras examinam 80% dos seus. Se na escola A se der o primeiro caso e na B o segundo, só é lícito comparar a média dos exames da escola A com a média dos exames dos 25% melhores da B - assumindo, de forma razoável, que os restantes não teriam tido sequer a oportunidade se estivessem na escola A. Se não se fizer isto, premeia-se as escolas que fazem uma sobre-filtragem dos alunos. Isto acontece muito em escolas privadas (em 10 alunos do 12º de um colégio privado, apenas 3 vão a exame).

Subsídio para a interpretação das classificações nos exames

No ano seguinte a completar o 12º ano numa excelente escola do terceiro cento do ranking, este autor começou a dar explicações de Matemática a alunos de 12º ano. Na zona, publicitou os seus serviços em três escolas, igualmente próximas. Duas eram públicas e a outra privada.

O autor do blogue insta os seus leitores a adivinhar de qual delas recebeu mais explicandos.

Ps.: Preço médio por explicações de matemática de 12º ano: 25€ / hora / estudante. Preço médio mensal: 250€

domingo, 28 de outubro de 2007

Espaço (Espasmo #24)

... e as fachadas antigas de
drogarias, tascas, pastelarias
prontos-a-vestir e restaurantes
pintados a néon e abandono
vão num misto de mágoa e dor
coexistindo com o futurístico
planeta das multinacionais de
roupa, comida e gadgets
engolem humanos e cospem
autómatos neo-liberais
e assim se vai enterrando
mil anos de história e
histórias, personalidades e
pessoas, lojas, calçadas,
eléctricos, culturas sob
gigantes financeiros que só
nasceram para criar uma
estúpida uniformidade

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Há 6 meses

O meu 25 de Abril não foi o de 74. Foi o de 2007.
Foi há seis meses, e ainda não foram reveladas as conclusões deste processo: a Autoridade agiu com a força adequada às circunstâncias.

O problema da insegurança na perspectiva de classe

Tento apontar à cabeça. Não consigo falar, não consigo dizer nada, sob o medo. És maior que eu, mais alto do que pensava. A fusca treme-me nas mãos, assusta-me tanto quanto a ti. Não. Não. Espero que não ... Foda-se esperei tanto tempo a olhar para este portão, para esta casa ...
- Queres cinco carros para quê!?
Estou mais calmo, é agora
- As chaves, abre a porta, no chão, já caralho!

Amanhã vais dizer que é injusto, tu tens quatro botes, vais dizer que foi injusto.

Serei o único a tirar esta conclusão?

O ranking das escolas divulgado hoje revela que é necessário aumentar o investimento estatal nas escolas públicas.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

"Este sistema liberta pedófilos e assassinos mas persegue os nacionalistas"

Skinhead do PNR, já acusado no mega-processo da PJ, e detido mais recentemente por vandalizar cemitério responde também num terceiro processo ... por pedofilia.

Mais Meia Hora de elogios à barbárie

"[...]ao contrário dos russos, os chineses ainda não se podem dar ao luxo de fomentar eleições[...]. Convenhamos que não deve ser fácil agora, oferecer uma caneta e um boletim de votos a cada um do bilião [sic] e tal de chineses, a maioria dos quais analfabetos nos vários sentidos da palavra. Aceita-se portanto que os dirigentes chineses procurem que isso não aconteça. [...] O Presidente Hu Jintao é um bom homem, inteligente, capaz de ver para além dos muros da cidade proibida. [...]"

Sérgio Coimbra, director do diário gratuito Meia Hora, opinião editorial 22/10/2007, exactamente uma semana depois desta.

Ps.: A semana passada, Sérgio Coimbra desculpabilizou a brutal ditadura franquista por "ter livrado a cultura espanhola de ser reescrita pelo socialismo". Desta feita, é aceite o terrível regime socialista chinês porque afinal este implodiria se não fosse a repressão.

PPs.: O argumento de que os chineses não merecem a democracia porque são analfabetos e não sabem no que estão a votar está, lamentavelmente, na mesma linha que este:


[não deve haver] referendo sobre o Tratado Europeu porque essa política não está ao alcance da população, [...] apenas dois por centro da população percebe o processo de decisão política na Europa!


e este

Referendar o Tratado é matá-lo. Alguém acredita que o cidadão iria dedicar-se ao estudo minucioso do Tratado, ponderar as consequências e as vantagens, reflectir sobre as múltiplas questões envolvidas? E que, após o amadurecimento da questão, não se decidiria simplesmente pelo "Não" como voto de protesto contra o encerramento da maternidade da sua terra ou o aumento salarial para 2008?


... parecendo assumir que é ilegítimo votar baseando-se nas condições práticas, nas consequências sentidas na péle das políticas.

sábado, 20 de outubro de 2007

Do que falamos quando falamos do Tratado de Lisboa

"[...]os impasses que surgem em situações de crise entre Estados Unidos, Rússia e UE são em parte devidos a uma certa flacidez dos orgãos europeus e este tratado, ao permitir um fortalecimento dos pilares da Europa [...]"
Luís Amado, em entrevista no Jornal das 9, Sic Notícias, ontem à noite (disponível on-line?)

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Amor semeia a revolta ...


... antes que sequem os rios.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

Que jornal português terei de arranjar ...

... em que não tenha que ler editoriais de conservadorismo moderado como este:

"[...]como se Fanco [sic] tivesse sido um Saddam *[1] ou um Estaline. [...] Não fora o Generalíssimo e a esta hora a cultura*[2] de Espanha teria sido reescrita pelo "socialismo" como aconteceu para lá do muro.[...]"

Sérgio H. Coimbra, director do Meia Hora, opinião editorial, 15/10/2007, acerca da possibilidade de retirar do espaço público espanhol estátuas do ditador que mandou executar centenas de milhar*[1] de concidadãos.


*[1] curiosamente, sensivelmente o mesmo número dos que morreram às mãos de Saddam.
*[2] valeu à cultura espanhola a franquista proibição da língua galega, catalã, basca ...

sábado, 13 de outubro de 2007

Mundo bizarro

Estava aqui a rever esta notícia.
E não pude deixar de pensar que só mesmo num mundo muito irónico pode um cabeça-rapada anti-semita ter como nome Isaque Nogueira.

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Quero agradecer a Deus, a Jesus, ao Pai Natal, ao Monstro das Bolachas ...

Kathy Griffin, que foi censurada por exprimir as suas convicções religiosas ao receber um Emmy, tem um familiar, Peter, também ele vencedor de dois Emmys. Fica aqui um seu discurso de agradecimento, também de cunho religioso, numa outra ocasião:

video

40 anos

Planeavas matar-me? Não há carne e osso por baixo desta capa mas tão-somente uma ideia. As Ideias são à prova de bala.

Efeméride

Há uma coisa que não entende: é que apesar de ser frequentemente usada, embora unicamente para facilitar a comunicação entre as pessoas, a palavra «ateísmo» não existe! Não existe essa palavra, como não existem palavras para designar aqueles que não acreditam no Pai Natal, ou na Fada dos Dentes, ou em Zeus, ou em selenitas.

Parabéns, Random Precision!

Cito uma das numerosas tiradas geniais do seu autor, e ofereço este link e também ... George Carlin:




... religião convenceu o mundo que há um homem invisível no céu, que é mágico e observa tudo o que fazemos e tem uma listinha de 10 coisas que não quer que façamos e se fizermos qualquer uma delas queimar-nos-á num lugar com lagos de fogo, torturar-nos-á, far-nos-á sofrer as mais miseráveis agruras para toda a eternidade. Mas atenção: ele ama-nos!

Música de Intervenção

Assim que abandonamos o nosso discernimento racional, e nos contentamos em confiar numa Autoridade, não há fim para os sarilhos em que nos metemos.


Um herói do Pensar chamado Bertrand
Delineia numa obra magnifica, grande
os muitos e tolos enganos do Homem
que à luz da razão no ridículo se expoem.


Exit-13 , An Outline of Intellectual Rubbish do álbum Don't Spare the Green Love - uma humilide tradução como forma de homenagem à banda e a quem ela homenageia.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Encontro

Bernardo d’Orey Vasconcellos e Souza d’Almeyda e d’Andrade é apresentado a William Winthorp Astor. Desconfiam um do outro à partida. É que o americano ouviu que Bernardo escreve num blogue liberal. Ao Barão da Casa d'Andrade, faz-lhe espécie que William seja republicano.

Plágio II

Será que César das Neves lê o que se escreve por aqui? É que apenas quatro dias depois de ser neste espaço acusado de plágio a uma figura pouco querida, sai-se com este encómio, em pleno Diário de Notícias:

Por outro lado, o primeiro regime teocrático xiita da História não é uma ditadura desmiolada. É uma democracia que há quase três décadas manobra com argúcia na cena mundial.

Será que um daqueles artistas atlânticos da foto-manipulação se lembra de lhe pôr um bigode estreitinho, ou melhor, uma barba cinzenta à aiatolá ? Ah ... espera ... ele já ...

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

À nova lua

Depois de milhares de anos o Homem,
feito à Sua imagem e semelhança,
sem jamais repousar,
com a sua inteligência laica,
sem medo,
no céu sereno de uma noite de Outubro,
colocou no céu uma Luz igual
àquela que girava
desde a criação do Mundo.
Amen.

Salvatore Quasimodo
La terra impareggiabl
e

Plágio


24/03/2004 - A mulher é no mundo a suprema criatura. Superior pela beleza,[...] virgindade e maternidade [...] juntas na mesma pessoa, cintilam no mais alto dos céus, acima de toda a criatura. - João César das Neves, ex-assessor de Cavaco Silva, Diário de Notícias,

24/09/2007 - As mulheres são as supremas criaturas da Criação. Representam a beleza e a bondade que Deus lhes instilou. - Mahmud Ahmadinejad, presidente do Irão, dirigindo-se à plateia da Universidade de Colômbia, Nova Iorque


24/03/2004 - Quando a mulher, o ser superior, se rebaixa, as consequências são horríveis. Como se pode considerar um progresso a mulher-soldado? [...] São hoje esquecidas e atacadas as duas razões mais próprias da glória feminina, o encanto da virgindade e a grandeza da maternidade. - JCN, Diário de Notícias

04/04/2007- Entre os soldados detidos está uma senhora, que é mãe de uma criança. Porque é o trabalho mais difícil como patrulhar o mar é dado a uma mulher? Não há respeito pela maternidade? O Ocidente não dá valor às suas mulheres? - MA, em conferência de imprensa, falando sobre a marinheira britânica capturada Faye Turney.


24/09/2004 - A Europa gasta o tempo na promoção do aborto, homossexualidade, eutanásia, pedofilia,divórcio. [...] A promoção da homossexualidade baralha até os dados da natureza. [...] A pedofilia é sempre um caso de homossexualidade. - JCN

04/09/2007 - Não temos o vosso tipo de homossexuais. Não sei quem vos disse isso. - MA

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

A Tia Teggy contra os úteros!

CDS-PP quer combater o colo do útero, primeiro nas meninas de 10-11 anos.
Quem nos informa é outro arauto (neste caso involuntário) do nadir dos tempos, o serviço de notícias semi-verdadeiras que rivaliza com o The Onion, o nosso Público.
Mas algo soa estranho nesta proposta dos Democratas-Cristãos - primeiro, é que o liberalismo se vai ao ar desde que seja para dar responsabilidade ao Governo de oferecer mais um dinheirinho às farmacêuticas. Segundo, ainda mais bizarro: o conservadorismo , onde está ? Aquela ideia da responsabilização do cidadão? Os seus camaradas republicanos norte-americanos, normalmente venerados pela cáfia de Teggy, acham que que quem apanha o vírus que causa este cancro só pode ser uma putéfia, e que assim sendo não merece vacina nenhuma. Mais, que a vacina promove a promiscuidade!

Ver mais sobre a hipocrisia conservadora em Womenage a Trois.

Portugal é o país da União Europeia mais afectado pelo vírus do papiloma humano, e os Verdes andam há meses a tentar passar legislação para que a vacina contra este seja incluida no Plano Nacional de Vacinação.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

terça-feira, 18 de setembro de 2007

9/11

Há alguma confusão em relação ao significado desta efeméride. Há quem neste dia recorde o aniversário do golpe militar apoiado pela CIA que põs fim a 150 anos de democracia chilena, instaurando a mais sanguinária ditadura da América do Sul, tão amada pelos nossos liberais católicos. Outros lembram-se do suicídio do brilhante Antero de Quental, o Proudhon português.
A maior parte lembra-se das acções assassinas alegadamente planeadas por um milionário de quem já ninguém parece querer saber, perpetradas por 19 nacionais daquela que é provavelmente a ditadura mais opressiva do mundo, e que desde 2001 foi recompensado com 15 000 000 000$ em armas americanas.

Foi ao ler este artigo do xatoo que me apercebi. Nada disto aconteceu num dia 9/11.
O dia 9 de Novembro é lembrado principalmente como a data da queda do muro de Berlim.

mm/dd/aaaa - O número do mês em primeiro lugar, seguido do número do dia - eis um formato de data singular, uma mania norte-americana (partilhada em todo o mundo apenas pela Micronésia). Parece uma trivialidade fazer notar isto, mas é mais importante do que se possa julgar.

É que, quando tudo parece indicar que os alienados desesperados neo-conservadores se preparam para transformar mais um país numa incubadora de selvajaria fanática, convém lembrar o tipo de provas que nos apresentam para aprendermos a ter medo dos malvados:

Em Fevereiro deste ano representantes das forças militares americanas no Iraque providenciaram as provas físicas cabais de que o Irão estaria a armar milícias xiitas no Iraque: apresentaram à imprensa munições resgatadas a alguns destes grupos que seriam claramente de fabrico iraniano. Rapidamente foram desmascarados quando alguém se interrogou da razão pela qual as armas tinham números de série como LOT:5-31-2006. Mês, dia, ano.

Ps: Não tenho dúvidas que o Irão esteja a intervir no Iraque - seriam loucos em não o fazerem - os religiosos neo-conservadores americanos ofereceram de bandeja ao governo do religioso conservador Amadinejade a oportunidade perfeita para subir de popularidade, garantir a re-eleição, e estender a sua influência na zona. Arroga-se um "presidente de guerra", e utiliza o medo para restringir as liberdades ao seu próprio povo. Como outros.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Águas Turvas

Julho de 2006 - O líder de uma patrulha de franco-atiradores Blackwater USA decide divertir-se. Avisa dois dos seus subordinados que vai à caça, e mata, por desporto, os motoristas e ocupantes de dois veículos. Os seus colegas, chocados, apresentam queixa e são prontamente despedidos.
Dezembro de 2006 - Um mercenário da mesma empresa, bêbedo, abre fogo e mata um civil na zona verde de Bagdade. É trazido rapidamente de volta para os Estados Unidos, impune a qualquer acusação criminal.
Março de 2007 - Um civil iraquiano é morto por conduzir demasiado perto de uma coluna desta empresa, e no dia seguinte, no centro da cidade, dezenas de civís e membros da polícia iraquiana são baleados indiscriminadamente por uma outra coluna.
Setembro de 2007 - 7 civís e um polícia iraquiano são assassinados numa ocasião semelhante.

São alguns casos que ilustram a violência desregrada praticada por estas forças. É certo que a impunidade dos bárbaros recrutados das hordas de Pinochet, do Ku Klux Klan, dos Minutemen, está assegurada. Mas é já um duro golpe para este modelo estratégico que o ministério do interior iraquiano tenha banido a Blackwater de operar neste país.
A espectativa é grande - a Blackwater USA é a maior de todas as fornecedoras de serviços de mercenários, e só por si é a segunda mais numerosa força militar no Iraque (6 vezes mais operativos que o Reino Unido). Pode dizer-se que a sua existência curta como fornecedora deste tipo de serviços depende de forma crítica dos milhares de milhões que ganha com a sua presença no Iraque - só do governo americano contam-se 1 000 000 000 $ em contratos.
É aberto um precedente, e se é decidido expulsar também o pessoal da Aegis UK, que se filma a balear civís (e coloca os vídeos no YouTube), as tropas estrangeiras no terreno ficarão depauperadas em mais de um terço dos seus operativos. A embaixada portuguesa no país fechou por os custos de protecção pagos a mercenários serem impeditivos. A revogação da licença de operação dos "serviços de segurança privados" tornaria em poucos meses o modelo de presença militar americana incomportável.

É devido a esta interdependência que a secretária de estado norte-americano Condolezza Rice está a interceder para que o Primeiro-Ministro Nouri Maliki cancele a decisão.

A delação da Senhora Justiça

Senhora Justiça:
- V! Tem pudor! Tens vindo a trair-me com uma rameira, uma assanhada insolente, de lábios pintados e sorriso sagaz!
V:
- Eu, minha senhora? Permiti-me discordar! Foi a vossa infidelidade que me lançou nos braços dela! Ah-ha! Pensastes que não sabia do vosso caso, mas sei! Sei de tudo! Francamente, nem fiquei surpreendido quando descobri. Sempre tivestes um fraco por homens de farda!
Senhora Justiça:
-Farda? Não sei do que falas! Foste sempre o único para mim! Tu e só tu!
V:
- Mentirosa! Megera! Negais que o deixastes possuir-vos, nas suas braçadeiras e botas militares?! Então?! O gato mordeu-vos a língua? Bem me pareceu! Desmascarada por fim. Já não sois a minha Justiça! Agora sois a justiça dele, deitastes-vos com outro!

Ora, não sois a única a poder jogar esse jogo!
Senhora Justiça (tossindo, atrapalhada):
- Quem é ela, V? Qual é o seu nome?
V:
- O seu nome é Anarquia! E como Amante ensinou-me muito mais que vós. Ensinou-me que a Justiça não faz sentido sem Liberdade. Ela é honesta, nunca faz promessas nem nunca as quebra. Ao contrário de vós, Jezebel! Perguntei-me porque que não éreis capaz de me olhar nos olhos. Agora sei a resposta. E por isso adeus, querida Senhora. Ficaria triste com a vossa partida, mesmo agora, não soubesse que já não sois a mulher que em tempos amei. Deixo-vos um presente final, aos vossos pés.
(V deixa uma pequena caixa de chocolates em forma de coração)
Ah, a chama da Liberdade, tão afável, tão justa! Ah, minha amada Anarquia! "Ó Beleza, que até hoje não vos conhecia!"

Ao Samir, amigos n'O Bitoque e quem mais quiser apreciar esta obra-prima do genial Alan Moore.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

Publicidade IV - Como se distorceu tanto a nossa ideia de beleza?

"Todas merecemos sentir-nos bem com o que somos", tranquiliza a multinacional anglo-neerlandesa Unilever na mais recente campanha de publicidade à sua linha de produtos de cosmética feminina.
Há já demasiado tempo que a beleza é definida por estereótipos limitados e sufocantes!
A Unilever opera simultaneamente uma campanha dirigida a outro público-alvo, para a sua gama de cremes de branqueamento de pele Fair and Lovely.
Como diria Bill Hicks, estão neste caso a apontar para um dólar diferente.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

A Europa é mole com o fundamentalismo

Não só é conivente com estes fanáticos anti-semitas, como patrocina a sua actividade. Que o diga o vizinho Max que anda de olho neles já há algum tempo.

Publicidade III - Bill Hicks

Em jeito de conclusão, fica o razoável apelo do comedido Bill Hicks:

Publicidade II - Poluição Visual

Não sei qual é a pena para quem polui visualmente o espaço público em São Paulo, mas uma coisa sei - lá fazê-lo é verdadeiramente proibido. 70% da sua população de 11 milhões de pessoas concorda com esta interdição total e absoluta de publicidade no espaço público. Quantos não gostariam de ser igualmente protegidos noutras publiCidades*.
Quantos não gostariam de se proteger disto:
É uma campanha de greenwashing da Shell, o gigante petrolífero Anglo-Neerlandês cujas refinarias expelem coloridas flores pelas chaminés em vez de fumo. Este anúncio em particular foi retirado - um grupo ecofascistas conseguiu que as hippies autoridades holandesas proibissem a difusão pública da mentira de que a refinaria de Geelong, na Austrália, reciclaria as suas emissões. A refinaria é conhecida pelas suas descargas frequentes na Baía de Corio.

Publicidade I

Há 3 semanas tive a oportunidade de perguntar a uma magistrada qual era a pena prevista para quem pinche uma parede*. Recusou-se a responder-me: "Não vou ensinar-lhe a poluir visualmente o espaço público.", retorquiu. Nem eu precisava que me ensinasse - sei muito bem que se, por exemplo, me der na telha espetar numa praça pública um relógio gigante feito de lantejoulas, com 14 000 Watts de potência luminosa destinadas a atrair o olhar dos transeuntes a qualquer custo, bastar-me-á contactar a JCDecaux para fazê-lo por mim e ainda serei louvado.
Fica assim introduzido o assunto deste artigo: o motivo para esta poluição visual - a actividade profissional que tem como objectivo estabelecer no público poderosas ligações emocionais entre o consumo e a sua felicidade (e da mesma forma, semear nele uma voraz insatisfação).

Descanse o leitor, sei que é imune a estes ardis. Sei bem que as suas dendrites perspicazes filtram singularmente a manipulação, retendo apenas a informação relevante. E é por haver tantos como o caro leitor, é devido a esta manifesta ineficácia da publicidade, que o investimento mundial neste negócio se limita a uns míseros 500 000 000 000 $ anuais.
Se tiver filhos, talvez não esteja tão certo da sua capacidades de resistência. Mas há boas notícias: pode usar esta susceptibilidade em seu favor! Parece que é até possível pôr os fedelhos a lamber os beiços com couves-de-bruxelas - basta embrulhá-las em embalagens Mcdonalds.

[clique na imagem - com uma vénia ao xatoo e aos Ska-P : "did anybody say Mcdonalds?"]

*justiça seja feita, a senhora magistrada teve no entanto a gentileza de me esclarecer que o castigo legal para a referida transgressão não é, como a observação empírica me tinha feito suspeitar, a fractura do antebraço a golpes de cacetete, executada sumariamente no local.

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Porque nunca é tarde

Do Imaginário BD

As capas fazem voar. Muitos metros.

Como encentar uma Revolução

[clique na imagem]

Uma cadeira que interessará a todos os betinhos aspirantes a revolucionários. Naquele lugar que os neocons (até os de cá, que se epetitam liberais) asservam ser o Inferno na Terra, Taxachussets (e bem infernal deve ser, com um diabo como Chomsky a lá leccionar).

Rescaldo Estival


O autor desde blogue regressa com um resumo de ocorrências. Nestas férias passadas em casa o autor viu:

  • ... ilustres comentadores classificarem de pobre agricultor um seu vizinho detentor de uma plantação que só este ano valerá para cima de 200 000 € (500 ordenados mínimos). A plantação era de um produto tóxico numa zona que se jactava ser livre de tal poluição. O autor esclarece que não se importaria de ser tão pobre quanto este pobre agricultor.
  • ... uma sua amiga acrescentar uma supérflua consoante ao seu nome de família por forma a ter mais sucesso no mundo das artes plásticas.
  • ... um seu colega pedir respeitosamente a identificação a um polícia do corpo de intervenção da PSP que espancara um turista irlandês, sendo por isto agredido, detido por uma noite e constituído arguido por ofensa à autoridade.
  • ... a sua integridade física ameaçada por um segurança de um bar ao ar livre, por alegadamente ter desrespeitado as normas de etiqueta ao cobrir a sua cabeça com um chapéu.
  • ... a sua integridade física ameaçada por um locutor de uma rádio em Coimbra, desta vez de forma digital (ver post anterior).
  • ... que uma intervenção cívica jamais deve ser exercida por pessoas piolhosas, de rastas, muito menos de camisas mal lavadas, que não contribuem para o PIB na justa medida. E que isto, junto com o tipo de estupefacientes e música* usados pelas ditas, é o essencial da questão, vindo em segundo lugar a sacralidade da propriedade privada e sendo apenas acessórias ao assunto a saúde pública e a agricultura sustentável. Mais, parece ser unânime que quando um grupo de ecologistas, depois de muitos avisos e promessas não cumpridas por parte das autoridades, decide desbastar 1% de um milheiral tóxico, oferecendo como compensação milho biológico e a mão de obra para o replantar, a pena deve ser executada de imediato: o fuzilamento no próprio local (ver vários artigos do blogue Insurgente e o artigo de José Diogo Quintela n'O Público).
  • ... Júlio Carrapato, um conterrâneo a que se permite admirar, e comprou-lhe directamente mais uma obra prima: "Subsídios para a reposição da verdade sobre a guerra civil de Espanha".
  • ... que a Ecovia do Algarve, que ligará esta nação ao resto da Europa por "ciclovia", avança, apesar de em bastantes partes não passar de um traço pintado em estradas feitas para os enjaulados. O autor do blogue, ciclista convicto, rejubila, não acreditando no entanto que se logre o objectivo de completá-la até Novembro.
  • ... a inexistência de progressos neste campo na sua própria cidade, completamente plana, mas onde é um perigo circular de bicicleta.
  • ... que daqui a 2 anos e meio será impossível distinguir a zona ribeirinha de Portimão do Parque das Nações em Lisboa: teleférico, oceanário, insectário, planetário, pavilhão multiusos. O autor promete não esquecer a promessa, e mostrar fotografias da zona nessa altura.
*Aqui os autores dividem-se: um comentador garante que os drogados se bamboleariam ao som dos Da Weasel (aqueles do McDonalds e do Manuel Alegre), outro jura que vibrariam com música psicadélica. Quanto ao tipo de drogas consumidas pelos activistas, enquanto uns desvendam que os jovens fumariam charrinhos, outros vão mais longe e falam em LSD. Dois pontos encontram consenso no comentadoriado nacional: o pragmatismo do chumbo-neles, e o argumento de que estes jovens betinhos desinformados deveriam voltar à Universidade, que lá é que se faz trabalho de protecção ambiental (não obstante o facto dos activistas porta-vozes se terem identificado como engenheiros agrónomos).

domingo, 19 de agosto de 2007

Verde Eufémia

Adenda ao post inicial: recomenda-se a leitura deste e deste artigos a quem veio aqui parar à procura de informações sobre o assunto.
Um grupo de cerca de 100 Heróis despachou a sacralidade da propriedade privada para a puta que a pariu. Ainda há gente com espinha!
O milho Mon 810, já proibido na Alemanha pela sua perigosidade, é um primo do comprovadamente tóxico Mon 863. Ambas as variedades* são criação da magnânime Monsanto, a fabricante de armas químicas, que emprega crianças para lidar com venenos e pesticidas na Índia e já presenteou a Humanidade com a dádiva do Agente Laranja.
Ainda há muito para destruir!

*Não adianta dizer aos vossos filhos para lavarem bem antes de comerem: nos transgénicos os pesticidas estão no próprio alimento!

Ps.: Há um mês agricultores do Algarve protestaram contra a infecção transgénica. Ninguém fez caso. Ninguém lhes ligou. Estamos a falar de gente que produz alimentos saudáveis postos em risco por essas aberrações que contém pesticidas por dentro (é disso de que falamos quando falamos de transgénicos). Uma resposta para certos comentadores que "apoiam as acções desde que não haja invasão da santa propriedade".
(informação parcialmente obtida do blog Zero de Conduta)

quinta-feira, 26 de julho de 2007

A morte do Arcebispo de Westminster


Sr Finch: ... falam da Comunhão e da Hóstia... ouve-se a palavra Transubstanciação - o milagre da Transubstanciação dá-se quando a Hóstia se transforma no Corpo de Cristo na Eucaristia. É um conceito Católico. Ouve esta parte:

V: Assim que esta hóstia tocar na tua boca, tornar-se-á na carne do Messias , é isso?
Arcebispo Lilliman: Sim! Sim! Mas olha, por favor ...
V: Seja qual for a substância que o compõe agora, quando comungares transformar-se-á no Corpo de Deus?
Arcebispo Lilliman: Sim! Independentemente do que seja agora!
V: Quero que a tomes, por favor.

Sr Finch: Não há mais diálogo na gravação; apenas um pequeno suspiro seguido da Quinta Sinfonia de Beethoven. A polícia já divulgou a causa da morte do Bispo: foi envenenado com uma hóstia de cianeto.

quarta-feira, 25 de julho de 2007

O Mundo era verde ...


... veio uma vaca e comeu-o.

quinta-feira, 19 de julho de 2007

Prelúdio

Allah Akbar, seus filhos da puta!

segunda-feira, 16 de julho de 2007

Eleições em Lisboa

José Cid foi eleito como vereador. Este artista de 53 anos é um recém-aposentado, a receber 15 000 euros por mês de reforma por uma função que desempenhou durante 1 ano e da qual se demitiu para integrar as listas do PSD à câmara. Pena: não tivessem as eleições sido antecipadas, poderia aguentar-se os 3 anos que lhe faltavam para receber 20 000. Isto somado ao salário de vereador.

Lisboa ganhou José Cid, mas não mereceu Teggy, a artista dos sete ofícios, número dois da lista de Telmo Correia, que foi há uns tempos nomeada para secretária de estado das artes . . . e dos antigos combatentes na mesma tarde.

Lisboa fez ainda vereador aquele gajo que conseguiu que a ICAR tornasse o tuning pecado mortal.

E Carmona! Apesar de quase não ter colado cartazes pela cidade, consegue eleger 3 vereadores. O povo alfacinha mostra ao país que a reverência ao cacique local não é só apanágio da província. Fosse apoiado pelo partido e é provável que ganhasse.


Ainda no mesmo tópico. Na redação do jornal de JMF achou-se importante referir que Sá Fernades perdeu 9000 votos relativamente às eleições de 2005. Decidi verificar os dados para os outros candidatos, certo de que o jornalista teria feito o mesmo cálculo mas teria achado de interesse apenas aquela selecção.

PSD: perde 88 982 votos relativamente a 2005 (D)
PSD+Carmona: 56 248 (N.A.)
Carmona: 87 103 (V)
PS: 17 115 (V)
CDU: 13 573 (?)

CDS: 9 465 (D)
BE: 8 994 (V)

Legenda: (V) - Clama vitória ; (D) Admite derrota ; (?) A mesma história de sempre na CDU - admite a perda de votos mas congratula-se pela vitória da esquerda ou algo do género.


Ou seja, o Público referiu a perda de número de votantes exclusivamente para o candidato que menos votos perdeu relativamente a 2005.*

*exceptuando os neo-nazis que, lembremo-nos, estabeleciam 3000 votos como objectivo para estas eleições e obtiveram 1501, o que prova que se sobre-estimam politicamente.

Fervores eleitorais passados, é hora de arrumar as bicicletas no canto onde estiveram nos últimos 30 anos (só assim se explica a total destrambelhice de AC e HR ao guiador), olvidar aqueles disparates do pulmão na Portela e deitar as mãos à obra - toca a avacalhar a zona ribeirinha!

Por fim:
Telmo Vassouras oferece as ferramentas para varrer o socialismo de Lisboa. Pelo que vi, terá contado com tanto ou mais material de propaganda que os outros candidatos. Tanto dinheiro investido naquelas extreme-makeovers das 5 pessoas do cartaz (caso-exemplo de como uns cremes e o photoshop fazem milagres), para nem uma ser eleita. Será que foi por os lisboetas se lembrarem da promessa quebrada do homem do "eu fico" que não ficou? Naaa, estava era tudo de férias.

PS: O Presidente da Câmara foi eleito com os votos de 11 % dos eleitores. É p'ró que está a dar a democracia representativa. Ditadura da maioria? Querias!

quarta-feira, 11 de julho de 2007

Não é notável que ...

... Aqueles que exigem a quebra da ortodoxia vigente das ciências naturais sejam os mesmos que se propõem a criar uma ortodoxia dogmática para uma ciência social?

Os mesmos que:

  • se recusam a aceitar as evidências da validade científica da física cosmológica e do darwinismo e negam as conclusões mais lógicas dos dados sobre alterações climáticas
  • ... desunham-se a argumentar que a teoria económica que reflecte a sua ideologia é na realidade uma lei indiscutível.
Os mesmos que:
  • abominam a pretensão de um carácter absoluto das teorias predominantemente aceites nas ciências naturais
  • ... querem atribuir este estatuto à decisão político-económica.
Os mesmos que:
  • querem introduzir ideologia nos modelos científicos da cosmologia, evolução e climatologia
  • ... também pretendem retirá-la das decisões económicas.
Quando triunfarem contaremos com Gurus para explicar o Mundo, e Técnicos para decidir como vivemos. Obscurantismo e despotismo.

[Na imagem: Bruce Chapman, dos poderosos think tanks Hudson e Discovery , responsáveis por patrocinar tudo o que promova a Inquebrável Lei Científica do Capitalismo e Decisão Política Neo-Liberal, e despromova as teorias da evolução e do big bang]

[Artigo inspirado por dois blogues: o novíssimo e prolífico Ladrões de Bicicletas e o finado Leviatã]

segunda-feira, 9 de julho de 2007

Se a Holanda fosse habitada por portugueses

Se a Holanda fosse habitada por portugueses, Amesterdão seria uma cidade sem bicicletas. Em todas as campanhas eleitorais o assunto seria trazido a discussão mas a conclusão mais ou menos unânime seria sempre de que numa cidade chuvosa como Amsterdão o uso da bicicleta é impracticável.
Dir-se-ia: "É ideologia utópica pensar no uso de bicicleta em Amesterdão. Nesta cidade chove 320 dias por ano! Só os enviesados do politicamente correcto poderiam pensar seriamente nessa ideia! Se há cidade em que não faz sentido defender a utilização de bicicletas é em Amesterdão."
Em Amesterdão, as bicicletas não precisam de mudanças. Mas precisam de guarda lamas, guarda correntes, faróis à frente e atrás. Para andar de bicicleta em Amesterdão são indispensáveis luvas, impermeáveis e ganchos para o cano das calças.

quinta-feira, 5 de julho de 2007

De Belém a Jenin



Clann Zú eram uma banda de intervenção australiana. Cantavam em inglês e gaélico (são de ascendência irlandesa). Lançaram três albuns de músicas sobre miséria e fome. Nunca lhes ouvi um acorde optimista.

terça-feira, 3 de julho de 2007

Questão

P: Qual a segunda maior força militar na grande coligação que ocupa o Iraque, com 125 000 soldados (25 vezes mais que o Reino Unido) ?
R: Forças mercenárias contratadas das quais a mais numerosa é a Blackwater USA.


Oferecem grandes vantagens económicas e políticas:

  • Quando mercenários cometem atrocidades a opinião pública sobre a guerra no país ocupante não é afectada, porque a sua operação está envolta em secretismo e pelo facto de não fazerem parte de uma força convencional. "Os Estados Unidos não torturam.", disse John McCain, mas têm toda a vantagem em contratar mercenários para o fazer por si. O caminho para a responsabilização do governo pelos seus actos é muito mais longo e sinuoso. Os próprios mercenários são imunes à justiça por se encontrarem no limbo entre a jurisdição marcial do poder ocupante e a jurisdição civil do país ocupado.
  • Quando atrocidades são cometidas contra mercenários, estes são automaticamente considerado civis. Foi o caso dos mercenários mortos em Falujá. A exibição pública dos seus cadáveres foi a justificação para o massacre desta cidade.
É muito complicado para um governo sujeito ao julgamento do seu povo lutar numa guerra não convencional fora do seu território. Será mesmo impossível ganhar sem cometer genocídio. As forças ocupantes vão ficando desmoralizadas à medida são mortas lenta mas constantemente pelas guerrilhas locais. Com o tempo fartam-se de jogar pelas regras e começam a lutar de forma cada vez mais suja. A repugnância que causa em casa o fluxo constante de sacos pretos e as imagens da destruição no país que seria suposto estar a salvar-se, aliada à frustração por não ver melhorias são causas para começar a pensar em retirar. A evidência da impossibilidade de assegurar os recursos que interessavam para pagar a guerra também é.
Mas pode adiar-se esta retirada enquanto for havendo seguranças contratados dispostos a passar pelas aldeias circundantes aos negócios que protegem para explicitar aos seus habitantes as consequências de albergarem quem os ataca.

[Na imagem: mercenários
da empresa do fundamentalista cristão Erik Prince patrulham Nova Orleães]