quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Conservador e Pai de Família

Em Junho deste ano, acerca das polémicas sobre sexo anal e grupos de risco com os blogues da direita, escrevi isto:

3) Estarão os pseudo-liberais da moral e bons costumes em pânico ao aperceberem-se que , enquanto ultramontanos homofóbicos, pertencem não só a um, mas a dois grupos de risco de contracção da SIDA!!! É que, ao que parece, se há quem goste de práticas homossexuais perigosas, e então de drogas como branca e meta nem se fala, são os tipos conservadores religiosos como Ted Haggard, Mark Foley, Larry Craig , Bob Allen, Glenn Murphy Jr. .



Hoje, revelou-se o amante de um famoso pai de família que se espetou de carro duas vezes mais rápido e quatro vezes mais bêbado que o permitido por lei.

Para quando fotos da Patrícia Lança de cabedal e strap-on? Dizem que o AAA já tem um chicote.


Ps.: Para mais, vem reforçar a minha sensação, de que falava com o PCR este fim de semana, que os homossexuais, pelo menos cá na Europa, tendem na sua maioria para o conservadorismo.

9 comentários:

Diogo disse...

Jon Stewart entrevista Bill Maher. Este não poupa as religiões, incluindo e sobretudo o Cristianismo. A Sarah Palin também vem à conversa

Jon Stewart, do Daily Show, traz-nos um momento de humor corrosivo que pode, a espaços, magoar os mais religiosos. Bill Maher com o seu novo documentário de comédia que se chama “Regilulous” [Religious + Ridiculous], coloca em causa tudo o que se relaciona com religião. Sarah Palin, possível vice-presidente dos EUA, é metida ao barulho e não pelas melhores razões.

Maher: Xenu trouxe-nos para aqui há 75 milhões de anos. Amontoou-nos à volta de vulcões e fê-los explodir com uma bomba nuclear. Estas são as doutrinas da Cientologia... Somos mais antigos do que o Universo. A Confederação Galáctica durou 80 triliões de anos. Têm de se livrar do implante, dos ditadores extraterrestres! Estes implantes são almas maléficas, chamadas Thetans.

Maher: Sim, acho que neste momento há duas Américas. Há um país progressista, europeu, no qual muitos de nós vivemos ou gostávamos de viver, que está a ser estrangulado pelas Sarah Palin do mundo, e que não pode nascer porque este outro país, parolo e estúpido, não permite. Não quero ser bruto, mas...

Maher: 60% dos americanos acreditam literalmente na história da Arca de Noé. Acreditam que aquilo é literalmente verdade.

Maher: A questão é que nós nos rimos disto porque a Cientologia é uma nova religião. Mas não é tão ou mais disparatado ou estranho do que o Cristianismo, lamento dizê-lo. Simplesmente estamos habituados a essa religião. Mas se, hoje, alguém viesse ter contigo e te contasse a história que nunca tinhas ouvido. Se te dissesse: “Deus teve um filho. Era um pai solteiro. E disse ao filho: ‘Jesus, vou mandar-te para a Terra numa missão suicida, mas não te preocupes, não podem matar-te porque, na verdade, tu és eu. Mas vai doer um bocado, não vou mentir-te. Vais odiar-me, mas é o melhor para ti, filho. Para mim! É o melhor para mim! Eu sou tu e tu é eu.

Maher: O plano é o seguinte, filho: eu, Deus, o Pai, vou à Terra primeiro. Dividimos o trabalho porque somos dois. Na verdade, não! E vou ver se arranjo uma mulher palestiniana para engravidar. Para que ela possa dar-te à luz. A mim, quero eu dizer! É a coisa mais disparatada que alguma vez se ouviu!

Maher: Eu limito-me a fazer perguntas. Por exemplo, o que é que a fé tem de bom? Porque é que Deus simplesmente não derrota o Diabo? O próprio Diabo… Perguntei a muita gente, por exemplo, qual é a diferença entre o Diabo e o Anti-Cristo? Sabes?

Stewart: Tem com certeza algo que ver com o Judaísmo e de certeza que fomos responsáveis por alguma coisa. Mas não sei a diferença exacta. Ninguém sabe.

Maher: Foi o que nós descobrimos. As pessoas religiosas sabem muito pouco sobre religião. Eu não sabia. Perguntava: “O Diabo e o Anti-Cristo são o mesmo?” Todos disseram que não. E eu perguntei se o Diabo trabalhava para o Anti-Cristo. Ou é o anti-Cristo que trabalha para o Diabo? Ou são como o Joker e o Enigma? São os dois vilões e, às vezes, juntam-se para derrotar o Batman.

Stewart: Pessoas como Sarah Palin, pessoas muito religiosas... Barack Obama, que também é muito religioso. Não acho que as crenças deles sejam muito diferentes em termos de religião. Conseguem separá-las?

Maher: Primeiro, não sei se Barack Obama é muito religioso. Claro que tem de dizer que é, porque é candidato à Presidência nos Estados Unidos da América, Portanto, tem de o dizer. Mas espero que esteja a mentir. Eu não tenho problema nenhum com quem é falsamente pio. McCain é outro que não é nada religioso. O meu problema são as pessoas que acreditam mesmo. Sarah Palin acredita mesmo. E pode estar a um passo da Presidência. É uma pessoa que... Até as pessoas estúpidas agora pensam: “Bolas, ela é mesmo estúpida.”


Vídeo legendado em português

Tárique disse...

Diogo hoje descobri um óptimo blogue de um tipo, como tu, muito céptico em relação às alterações climáticas.

e é forte ambientalista e ecologista.

chama-se bolinas.

abraço

Pedro Fontela disse...

Quanto mais gritam para oprimir os outros mais fantasmas pessoais devem ter escondidos...

Tárique disse...

E Fontela tu que até escreves no devaneios,achas que o inverso se aplica?

ou seja, que os homossexuais, ao crescerem oprimidos, se tornam opressores?

pela mesma espécie de mecanismo que faz com que as crianças que são espancadas pelos pais se tornem elas mesmas espancadoras dos filhos?

(para dizer a verdade tb não sei se este último é um facto)

se calhar baseio-me demasiado na minha experiencia. conheço um rapaz que foi homófobo até aos 24 ou 25 anos, quando "saiu do armário" , e depois tens o tipo da polónia, etc.

Filipe Abrantes disse...

Porque não pegar a história pelo outro lado? Eu acho que o PNR tem muitos militantes que são gays (obviamente nenhum assumido, presumo). Ora só isso dava para uma tese antropológica...

A minha tese (atenção, isto é sociologia barata): o facto de ideias pouco populares nas mulheres (autoridade, poder, força, nacionalismo, etc) favorece na prática o convívio íntimo e frequente de muitos homens (muitas vezes aos pares), que vão criando nuns casos mais que noutros uma intimidade afectiva que levará a estas tendências (falo dos gays não-biológicos). A competição por atitudes viris dentro destes grupos favorecerá: ou o despertar de desejo sexual por homens; ou o desenvolvimento de tendências homossexuais.

Não sei se há um estudo, mas apostaria uns euros em como nos nazis a % de gays era mais elevada do que na maioria das restantes forças políticas até hoje.

Tárique disse...

engraçado Filipe, eu meti-me em sarilhos por ter exactamente esse argumento há uns 5 anos, discutindo numa família de desportistas que no mundo do desporto viril (futebol e basquetebol na europa, futebol americano na américa, etc.), dos laços de balneário, das palmadinhas no rabo ao entrar para os jogos, da forte homofobia (o último a chegar é paneleiro, futebol não é para meninas, etc.), do culto do corpo musculado, haveria maior tendencia para a homossexualidade do que no resto do mundo.

e por aí ... na marinha ... na prisão ...

estes "lugares" não terão criado homofobia para "se proteger" de que a coisa escale à espartana?

Filipe Abrantes disse...

«estes "lugares" não terão criado homofobia para "se proteger" de que a coisa escale à espartana?»

Pois é. Eu pratiquei futebol federado durante uns 8 ou 9 anos e sei do que estou a falar. Sempre notei cumplicidades "estranhas" nos balneários loool Embora tudo em aparência (real ou não...) de brincadeira.

Quando vivi na Suíça pude também observar como os muçulmanos (essencialmente dos balkans, os outros não conheci muitos) lidavam entre eles. Um amigo meu albanês (da Macedónia), por volta dos 16 anos deixou de se lidar tanto com os seus amigos de infância (de bairro) e começou a frequentar mais as pessoas da sua cultura (albaneses, turcos, jugoslavos, etc) e eu notei como ele começou a adoptar práticas que me chocaram um pouco na altura: cumprimentar os novos amigos com um abraço muito fraternal, brincarem aos beijos, agarrarem-se na brincadeira, elogiarem-se a nível estético, etc. Coisas que nós portugueses fazemos menos (ou quase nunca).

Ora aqui, mais uma vez, se pode ver como o convívio entre homens pode desenvolver práticas menos viris. Assim como uma forte homofobia.

Pedro Fontela disse...

Tárique,

Eu penso que muitos dos casos mais violentos de homofobia têm uma grande dose de "armário" à mistura... mas dito isto há também outros factores para andar tão interessado na vida do vizinho: panca religiosa, intolerância política em geral, pseudo-ciência, etc.

ps: para o Filipe Abrantes, duvido que fosse muito elevada dado que os gays foram parar aos campos de concentração e aquando da consolidação do poder de Hitler no partido (em 1936 se não me engano) ele correu correu com eles (leia-se: assassinou-os).

de.puta.madre disse...

Há muito Roberto ( Personagem do Em busca do temp perdido, MProust) por aí ...