quarta-feira, 9 de julho de 2008

Algumas curtas



- Um post tão simples mas tão perfeito como o brado "O Rei vai Nu!". É por estas e outras que adoro o Vento Sueste.

- No blogue "de esquerda" 5 Dias, o Filipe parece continuar a ser o único gajo de esquerda. E relativamente à questão dos fogos devolutos, a solução óbvia do alargamento do conceito do uso capião aos prédios urbanos continua a não estar em cima da mesa (note-se que foi exactamente por estar abandonado que o edifício da Av. da Liberdade se tornou um perigo para os adjacentes). Um bocadinho mais ou um bocadinho menos de impostos parecem ser os extremos máximos da discussão.


- Cada vez mais me apercebo que não há qualquer orientação global para a crise energética. A mistura de planeamento estatal com aqueles mecanismos capitalistas de futuros etc. que supostamente tornaria o sistema algo robusto a estas crises mostra-se ineficaz. Etanol produz-se a partir de cana do açúcar! E mesmo assim não é suficiente. Milho, beterraba? Estão a atirar areia para os nossos olhos ou para os seus próprios? Energias renováveis, carros eléctricos, carros a hidrogénio? Para dar resposta às necessidades previstas? Vão gozar com outro! E se não for a energia, as outras matérias primas duram para sempre? Porque é que não estamos todos a trabalhar 1 hora por dia, a consumir pouco e produzir pouco? Porque é que não exigimos isto. Será que a malta gosta assim tanto de trabalhar?



- A passadeira na Av. Infante Dom Henrique onde quase sou atropelado todos os dias. Os automóveis passam por ela a 100 km/h (o limite é 50). Alguns vêem-me à distância, abrandam e páram. Mas há um tipo de veículos que jamais abranda ali. Os jipes e carrinhas da brigada fiscal da GNR um quilómetro abaixo na mesma avenida. Será que eu posso aprender a manejar uma fusca e deixar de pagar a parte dos impostos que vai para esta gente que quase me mata todas as manhãs? Dispensar estes "serviços". A propósito, há 50 atropelamentos por ano neste ponto negro.


Bónus:

Por incrível que pareça, há alguns leitores deste blogue que sabem exactamente onde foi tirada esta fotografia.

9 comentários:

Filipe Moura disse...

Hmmm... não faço ideia onde foi tirada.

Tárique disse...

Pois não. Já me disseste que nunca lá foste. Minis a 75 cêntimos (não sei quanto é a amêndoa amarga)

Anónimo disse...

75 c não me parece excessivamente generoso.
renegade

Tárique disse...

Eu chamar-lhe-ia minimamente razoável. Hádes me dizer onde bebes :)

Tárique disse...

Já agora, com Vento Sueste eu estava a referir-me ao blogue, porque a suestada em si não gosto muito. É grande bafo e é péssimo para andar de bicicleta (e tb de mota). A excepção foi em 99 quando trouxe umas micro-algas vermelhas que brilhavam no escuro. E em 98 quando trouxe uma onda gigante mas só em holograma.

Anónimo disse...

Ui...tasquinha saborosa repleta da boa energia do sr.Gomes...teremos de beber essa mini prometida antes de Agosto :)

Tárique disse...

Eu sabia!!!! :D Obrigado C., espero que esse sprint final tenha corrido bem

Anónimo disse...

Grupo Desportivo da Mouraria.
Rick Dangerous

Tárique disse...

Boa Rick :)