segunda-feira, 16 de junho de 2008

Desilusão (II)

Teria eu 7 ou 8 anos, e no Dia da Criança levaram-nos aos alunos da escola primária do Bairro Pontal a celebrá-lo com umas actividades no segundo andar do, na altura novo, centro comercial Prisunic (hoje Continente).
Numa das actividades, a animadora chamou uma das crianças ao palco, onde estava um teatrinho de fantoches, com as figurinhas do famoso desafio do Barqueiro, o Lobo, a Cabra, e a Couve. O miúdo ouviu as regras: o barqueiro tem que fazer todos atravessarem o rio, podendo levar consigo apenas um passageiro, mas não pode deixar o Lobo sozinho com a Cabra, nem a Cabra com a Couve, senão eles devoram-se.
Não obstante ter prestado pouca atenção, foi desembaraçado e nem precisou de olhar duas vezes para o quadro para dar a resposta óbvia, bem alto, ao microfone:


'tão ... é dar-lhes perrada!

Todos se riram até a monitora explicar que era um problema complexo, que devíamos tentar resolvê-lo com inteligência. Apercebo-me agora que é surpreendente ninguém lhe ter respondido "então mas está do lado do Lobo?"

3 comentários:

Filipe Moura disse...

:)

Miguel Madeira disse...

Se calhar, ainda o Tarique foi aluno da minha mãe...

Tárique disse...

Ou o Miguel aluno da minha.