quarta-feira, 7 de maio de 2008

Rotterdam Lombardijen

- Éxcoose mee, can I pay yu so you buy the ticket for me?
- Uuhh, ok sure, but why?
- We don't have the card, you know. We have only notes.
- I see, the thing doesn't accept bills. Where do you want to go, then?
- Amsterdam, please. Thank you very much.
- Not at all. May I ask where you're from?



- From Portugal.
- A sério!? Eu também sou português! Sou de Portimão. Vocês são de onde?
- Somos de Oeiras. Estamos cá a trabalhar há 2 meses.
- Iá? A fazer o quê?
- Estamos a embalar fruta num armazém aqui perto. Somos uns 30 portugueses, uns poucos holandeses, muitos marroquinos e polacos também.
- Então e ainda não têm cartão do banco?
- Epá, a gente veio para aqui muito à pressa, respondemos a um anúncio no jornal e passados dois dias já estávamos a voar para cá. Não deu tempo para tratar de nada. Entretanto já fomos ao banco mas eles pedem-nos comprovativo de residência.
- Então e vocês não têm?
- Não. A gente mora na fábrica e o patrão não nos deixa dar essa morada.
- Então como é que são pagos?
- Ele passa por lá com 250 euros por semana e dá-nos.
- Épá, mas vocês sabem que isso é menos que o ordenado mínimo cá!
- Mas o ordenado mínimo é só para os holandeses, não é? O patrão diz que é assim. Diz que gosta muito dos portugueses porque quando é para trabalhar a gente trabalha a sério. Os holandeses tiram pausas para almoçar e saem do trabalho às quatro.
- Então e vocês, trabalham até que horas?
- Entramos às seis e saímos às oito. Se há encomendas também trabalhamos ao fim de semana.
- Então mas vocês têm visto notícias, não ouviram que há portugueses a serem explorados por cá?
- Isso deve ser pessoal que não quer trabalhar. A gente está bem melhor aqui do que em Portugal. Trabalha-se menos e ganha-se mais.
- Então e por exemplo, problemas de saúde. Já se orientaram com algum sistema?
- Ela esteve doente há umas semanas, a gente falou com o patrão mas ele andou a engonhar durante uns dias até que a gente lá foi à procura de um hospital. Os holandeses são impecáveis, a senhora a quem pedimos informação levou-nos quase até lá à porta. Pagámos foi bué pela consulta ...
[...]

2 comentários:

Joao Torto disse...

Porra.

Foste tu que falaste com esses portugueses?

Estes esquemas até me fazem revirar na cadeira.

E o mais triste é eles pensarem que estao melhor la do que em Portugal. Só porque recebem mais umas migalhas.

Alguém lhes diga que ganham mais se estiverem desempregados na Holanda do que a receber 250 euros por semana.

Anónimo disse...

é triste mas é verdade sei de pessoas que trabalham em portugal 14H diárias sem feriados (excepção feita para o 25 dez e 1 Jan) por 1100€.Onde? na industria da TV.há é verdade a recibo verde com os habituais descontos de SS e IRS, o seguro de acidentes de trabalho fica por conta do próprio,dá uma quantia ridicula à hora, mas os lugares são muito desputados e até fazem competição(alguns) para ter o previlégio de engraxar o chefe!
Ai Portugal Portugal, não acredito em bruxas mas que ASAE ASAE!