sábado, 9 de fevereiro de 2008

"Faça queixa ao Ministerio Público"

Eis a frase mais complexa que já vi sair do focinho de um porco de intervenção após uma das suas cargas de porrada súbitas e sem aviso. O orgão do Ministério Público é a IGAI, a Inspecção Geral da Administração Interna. A sua função é regular a acção das polícias por forma a assegurar que estas agem disciplinadamente e que os direitos dos cidadãos são assegurados. Portanto, quando se fala sobre o mandato/legitimidade democráticos das forças ditas de segurança para deterem o monopólio de violência, está-se a falar da IGAI e da sua autoridade em regulá-las.

De cada vez que o Juíz Desembargador Clemente Lima, Inspector Geral da Administração Interna lança um relatório oficial ou faz declarações as conclusões são as mesmas: A polícia em Portugal é mal formada, indisciplinada, age de forma selvagem sem conhecimento ou respeito pelos direitos dos cidadãos, bate sem perguntar nem avisar, saca as armas sem pensar duas vezes, causa muitas vezes violência gratuita. Quanto aos oficiais, "muitas vezes comportam-se como xerifes sem lei dos filmes americanos do faroeste" (cito de cor).*

E qual é a reacção das instituições democráticas de cada vez que o organismo oficial que regula a polícia profere tão graves avisos? A de Rui Pereira, Ministro da Administração Interna é menosprezar, desdizer, ignorar e desautorizar a IGAI. As associações de oficiais, e partidos democráticos da direita exigem o despedimento do magistrado (e timidamente, a dissolução do próprio orgão).

Dito isto:
Inspecção Geral da Administração Interna:
email: geral@igai.pt
telefone: 21 358 3430
fax: 21 358 3431
*Ps.: A frase exacta de Clemente Lima é:
Há muita cowboyada de filmes americanos na mentalidade de alguns polícias.

Sem comentários: