quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Andar de bicicleta em Lisboa é suicídio

"Andar de bicicleta em Lisboa é suicídio"*


Para manter o mínimo de coerência, e mesmo rigor, dever-se-á antes admitir:

Andar de carro em Lisboa é homicídio.

*Andar a pé em Lisboa é suicídio.
Andar de transportes públicos em Lisboa é suicídio.

Andar em Lisboa é suicídio.



Ps.: O comentário é de Filipe Melo Sousa, um "liberal" português (sim eu sei que é um oximoro, mas é como ele se classifica). Repare-se como termo de comparação na opinião sobre os popós que têm os liberais do país dos liberalismo:

Não devemos admitir que sejam postos á venda veículos capazes de exceder o limite de velocidade na União Europeia em mais de 25%, ou seja, 160 km/h.
- Chris Davies, eurodeputado liberal britânico, falando da sua proposta ao parlamento europeu.

3 comentários:

miguel disse...

O liberal Filipe só tem deixado comentários engraçadinhos de puto de 13 anos no CidadaniaLx, no Carmo e a Trindade, etc...
Por isso nem lhe respondi no meu post do cidadanialx

Filipe Melo Sousa disse...

Um suicida é um indivíduo que se dispõe a morrer, logo é a ele que se deve imputar o acto :)

Mas sejamos civilizados. Eu proponho-me a não entrar com o automóvel nas ciclovias assinaladas, com piso encarnado. E as bicicletas não entram nas faixas de rodagem. Fair enough?

Tárique disse...

Deveras civilizado. Eu proponho e ponho em prática o seguinte complemento: furo os pneus a todo e qualquer carro que encontre estacionado em cima do passeio, e parto os vidros aos que encontrar estacionados em cima das ciclovias. Que tal?